eu quero falar o que sinto.........


Os senhores da Terra optaram pela aceleração do "desenvolvimentismo". Modelo consumista insustentável ante a natureza mãe. Exterminam-se de forma impiedosa milhões de vidas sencientes, o que traz junto os atuais descalabros sócio ambientais... Este é o trilho inexorável e involuto do financismo rentista global, gerador das calamidades sócio políticas e da desvitalização humana nas chamadas enfermidades "crônicas",

...Vivemos um processo de decadência como natimortos anestesiados pela mídia venal e corrupta, aceitando a pulverização do "veneno nosso de cada dia" na agro cultura transgênica, e na carcinogênica PECUÁRIA INDUSTRIAL; Formulados ideologicamente pela logica do LUCRO como um fim, aceitamos passivos o suicídio coletivo da nossa espécie, assistindo os elementos de sustentação vital desaparecer na poluição do ar, nas águas doces e nos mares, mas especialmente na alimentação "carnista", super quimifica e desvitalizante...

Foi gerado em apenas dois séculos uma engrenagem essencialmente antivida, que inverteu todos os valores e códigos éticos minimamente necessários para a sobrevivência sustentável.

Impregnou-se na espécie humana uma brutal insensibilidade ante seus próprios semelhados, e aos animais não humanos (impera o desamor organizado pela ganancia e ignorância).

Agredindo-se arrogantemente a natureza materna e a todos os seres sencientes; explorando-os de forma brutal e abominável, transformando-os em meros produtos alimentícios mercantilizados, instituindo a violência do "especismo" consentido e cultuado na idiotia comportamental, algo absolutamente amoral e passivo pelo consentimento da barbárie do holocausto animal. São estes os fatores negativos pós modernos, intrinsecamente associados a já insana corrida secular rumo ao "ouro de tolo" que sustenta o sistema das mercadorias e do luxo&lixo...

UMA ELITE EGÓTICA E PREDADORA...



Pois este é o pecado coletivo mortal, ou moral, da elite branca opressora e mercantil que aportou por aqui há mais de 500 anos...Que perversamente extraditou e escravizou o negro Africano, e subjugou e quase exterminou o índio nativo...(já que este, mais rebelde por sua natureza livre, menos se submeteu...).
Deixando-os pelos séculos subsequentes, gerações miscigenadas de “descamisados”, de ”sem tetos”, e de “sem terras”, constituindo, atualmente, os milhões de deserdados, entregues à mercê...das leis draconianas de oferta e da procura, do impiedoso  “deus mercado...” global.
Elites egocêntricas, que vendem cinicamente ao mundo exterior e pseudo desenvolvido, até hoje, uma espúria falácia, de que somos uma nação formada por um povo cordato e gentil.
Entretanto, de vez em quando, esse pano cai abruptamente, quando grupos de turistas, destes próprios países, são, antropofagicamente, aqui assaltados...E barbarizados...
(e aí retomam os foros dos cínicos debates na mídia, e no parlamento, se se deve ou não se deve, aplicar a pena de morte no nosso código civil, se se deve ou não, reduzir à idade da maioridade penal para se assumir a responsabilidade penal).
Pois em nosso país, infelizmente, as discussões que buscam a justiça social e uma melhor redistribuição de renda, e também soluções ante a insana violência atual, nunca são focadas na sua real origem formadora dos entraves, ou sua raiz histórica...
Querem resolver essas questões sócio-estruturais, usando apenas mais repressão penal e policial...E isto é ficar, sem dúvida alguma, cada vez mais distante de uma possível resolução destes crônicos e dramáticos entraves da nossa formação histórica...
Horácio Féres...Observador sócio ambiental...
 — 

Nenhum comentário:

Postar um comentário