eu quero falar o que sinto.........


Os senhores da Terra optaram pela aceleração do "desenvolvimentismo". Modelo consumista e insustentável ante a vida no planeta. Extermina-se diariamente de forma impiedosa a natureza mãe e milhões de vidas sencientes, causando os atuais desequilíbrios sócio ambientais... Este é o trilho inexorável e involuto, traçado pelo financismo rentista global, gerador das atuais crises sócio políticas, e da calamidade ambiental, da desvitalização, da ausência de imunidade natural, nas chamadas enfermidades "crônicas",

...Vivemos este processo de decadência moral e fisiológica como se fossemos seres já natimortos, anestesiados pelas contra informações de uma mídia venal, deseducadora e corrupta, aceitando passivamente a pulverização do "veneno nosso de cada dia" na agro cultura transgênica, e na carcinogênica e (criminosa) PECUÁRIA INDUSTRIAL. Vivemos o pesadelo da formulação ideológica da "logica do LUCRO" como um fim em si, participando involuntariamente do suicídio coletivo da espécie, assistindo todos elementos básicos de sustentação vital desaparecerem na poluição do ar, das águas doces e nos mares, mas especialmente na alimentação industrializada e "carnista", hiper quimifica e desvitalizante...

Gerou-se em apenas dois séculos da história humana na terra, uma engrenagem essencialmente antivida, que inverteu todos os valores e códigos éticos minimamente necessários para a sobrevivência sustentável.

Impregnou-se na espécie humana uma brutal insensibilidade perante os seus próprios semelhados, e também aos animais não humanos (império do desamor organizado pela mera ganancia e ignorância).

Agride-se arrogantemente a natureza materna e a todos os seres sencientes; explorando-os de forma brutal e abominável, transformando-os em meros produtos alimentícios mercantilizados, instituindo a violência do "especismo", consentido e cultuado na idiotia comportamental das nações globalizadas, algo absolutamente amoral, aético, no consentimento da barbárie do holocausto animal. São estes os fatores negativos pós modernos, intrinsecamente associados a já insana corrida secular do capital rumo ao "ouro de tolo", que sustenta o sistema das mercadorias, das guerras, do luxo e do lixo...

OS ENCONTROS ACONTECEM AO ACASO?...OU SERÃO MARCADOS?...


Deixei minha esposa de manhã no clube Escandinavo, no bairro do Campo Belo, onde haveria um encontro internacional sobre ALIMENTAÇÃO VIVA, e vim descendo pela mesma rua da portaria deste clube, pensando ansioso em como iria encontrar a avenida Vereador José Diniz, para poder retornar para casa...
Eis que do lado direito desta rua em que descia e o passeio, vem subindo tranquilamente um senhora com um avental culinário, e um lenço na cabeça, carregando alguns pertences...
Parei o carro bem perto dela, com um toque abaixei o vidro do passageiro, e pergunte-lhe numa "velocidade" de uns "100 por hora":..."por favor senhora, estou meio perdido por aqui, como faço para pegar a Vereador José Diniz?...
Ela então abaixou-se calmamente, encostou seu braço na porta, pude ver de relance que tinha algo tatuado no seu braço direito, e com uns olhos bem serenos e calmos, olhou-me bem fundo, e respondeu-me com palavras pausadas, ritmadas e suaves:
"e só o senhor virar essa próxima rua a esquerda, e ir sempre reto que irá chegar lá..." agradeci rapidamente aquela simples informação recebida, e na mesma "velocidade" com que lhe perguntei, fechei o vidro e parti a mil...
Além dela ter me parecido alguém familiar, (percebi alguns traços no seu rosto de algum conhecido), na verdade fiquei foi muito chocado com este encontro...explico melhor: assustei-me comigo mesmo com o contraste do equilíbrio e serenidade sentido naquele tom de voz, com o meu "ritmo" bem tenso daqueles dias...
Vim refletindo sobre os efeitos químicos da alimentação dita normal, da qual estava distante, e no equilíbrio da nossa homeostase e sensibilidade...eu recém convalescente de duas operações alopáticas violentíssimas, havia perdido mesmo meu eixo do equilíbrio natural.
À noite minha esposa me mostrava as fotos que tirou do evento, e comentando sobre as pessoas que lá conhecera, falou-me positivamente dessa mulher...
Quis saber o nome dela? perguntei...
Ela me disse o nome e o sobrenome...
Pelo sobrenome eu matei a charada que me intrigara...
Ela é irmã de um caro amigo meu de juventude...
eu sabia que ele tinha duas irmãs, mas só conhecia uma...
little world...
Convidado para o aniversário dele, poucos dias após, num momento mais isolados, perguntei-lhe sobre ela...sobre a sua atividade profissional, e qual a sua relação e atividades com o mundo vegano e animal...
Como seu irmão ele deu-me um rápido depoimento bem ao seu estilo que curto e admiro muito, bem franco e objetivo, e tb num viés de esquerda...mesmo porque, ele, como toda "esquerda" tradicional, não navega, ou ainda desconhece muito dessa área tão importante até politicamente...qual é o fundamento para o futuro da humanidade da nutrição Vegan...
Mas indaguei-lhe porque eu queria, e ainda quero muito um dia conhece-la pessoalmente...
Adicionei-a no meu face, pois percebi se-la mesmo uma vibração, e uma sensibilidade diferenciada...
que ensinou-me indiretamente muitas coisas excelentes sem estar presente..
.As suas postagens de culinária, músicas, e outros assuntos correlatos não comerciais, são tb educativas, especiais e pertinentes...
Porém não irei marcar nem procurar nada...
o que tiver que ser será...como o foi naquele dia de manhã...
tudo é merecimento!...somos e vivemos o que merecemos...
MAKTUBE!
https://youtu.be/QWqId2yQZik
 —  sentindo-se abençoado com Sheila Waligora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário